Vedanta

O QUE É VEDANTA?

A filosofia Vedanta e sua importância

A Vedanta é uma das mais antigas filosofias religiosas do mundo, e uma das mais universais. Baseada nos Vedas, as escrituras sagradas da Índia, a Vedanta afirma a unidade da existência, a divindade da alma humana, e a harmonia de todas as religiões. A Vedanta é a base filosófica do hinduísmo; mas, enquanto o hinduísmo inclui aspectos da cultura hindu, a Vedanta é universal em sua prática e igualmente relevante em todos os países, todas as culturas e todas as crenças religiosas.

A Unidade da Existência

A unidade de existência é um dos grandes temas da Vedanta e um pilar essencial da sua filosofia. A unidade é a canção da vida; é o grande tema que subjaz às ricas variações que existem em todo o cosmos. O que quer que vemos e o que experimentamos é apenas uma manifestação dessa eterna unidade. A divindade no âmago do nosso ser é a mesma divindade que ilumina o sol, a lua e as estrelas. Não há nenhum lugar onde nós, infinitos em nossa natureza, não existimos. A dualidade, o nosso sentimento de separatividade em relação ao resto da criação, é sempre um equívoco, uma vez que implica na existência de algo além de Deus. "Esta grande pregação, a unidade de todas as coisas, que faz de nós um com tudo o que existe, é a grande lição a aprender", disse Swami Vivekananda um século atrás. ".... O Ser é a essência do universo, a essência de todas as almas.... Você é uno com o universo. Aquele que diz que é diferente dos outros, mesmo que apenas por um fio de cabelo, torna-se imediatamente infeliz. A felicidade pertence àquele que conhece essa unidade, que sabe que ele é uno com o universo."

Karma e Reencarnação

O sofrimento humano é um dos mistérios mais constrangedores da religião. Por que pessoas inocentes sofrem? Por que Deus permite o mal? Deus não pode fazer nada ou Ele escolhe não fazer? E se Ele decide não fazer, isso significa que é cruel? Ou simplemente indiferente?
A Vedanta tira o problema da jurisdição de Deus e firmemente o entrega a nós. Não podemos culpar nem Deus nem um demônio. Nada nos acontece pelo capricho de algum agente externo: somos nós mesmos os responsáveis pelo que a vida nos traz; todos estamos colhendo os resultados de ações anteriores, nesta vida ou em vidas passadas. Para entender melhor isso precisamos primeiro entender a lei do karma.
A palavra karma vem do verbo sânscrito kri, fazer. Apesar de karma significar ação, significa também o resultado da ação. Qualquer ação que tenhamos feito ou qualquer pensamento que tenhamos tido criaram uma impressão, tanto em nossas mentes quanto no universo ao redor de nós. O universo nos devolve o que demos a ele: "Colhemos o que plantamos", disse Cristo. Bons pensamentos e ações criam bons efeitos, maus pensamentos e ações criam efeitos maus.


Reencarnação

O que acontece na morte se não atingimos a liberação?
Quando uma pessoa morre, somente o corpo físico "morre". A mente, que contém as impressões mentais da pessoa, continua após a morte do corpo. Quando a pessoa renasce, é um novo corpo físico acompanhado pela antiga mente com as impressões ou "marcas" das vidas anteriores que "nasce". Quando o ambiente favorece, essas tendências de existências anteriores manifestam-se outra vez na nova vida.
Felizmente, esse processo não continua eternamente. Quando atingimos a realização de Deus ou autorrealização, a lei do karma é transcendida, o Ser abandona sua identificação com o corpo e mente e reconquista sua liberdade, perfeição e bem-aventurança originais.

A Harmonia das Religiões

"A Verdade é uma só, os sábios a chamam por diversos nomes", declarou há milhares de anos o Rig Veda, um dos mais antigos textos da Vedanta.
Todos buscamos a verdade, afirma a Vedanta, e essa verdade aparece com numerosos nomes e formas. A verdade - a realidade espiritual - permanece a verdade, embora surja com diferentes disfarces e se aproxime de nós vinda de várias direções. "Qualquer que seja o caminho no qual as pessoas viajem, esse é o Meu caminho," diz o Bhagavad Gita. "Não importa por onde andem, todos os caminhos levam a Mim."
Se todas as religiões são verdadeiras, por que então tanta luta?
Principalmente em razão da política, e das distorções que as culturas e mentes humanas limitadas impõem sobre a realidade espiritual. O que geralmente é considerado "religião" é uma mistura de coisas essenciais e não essenciais. Como Ramakrishna disse, todas as escrituras contém uma mescla de areia e de açúcar. Precisamos separar o açúcar e deixar a areia: devemos extrair a essência da religião - se a chamamos de união com Deus ou de autorrealização - e deixar o resto para trás. Abracemos tudo aquilo que nos ajude a manifestar nossa divindade, e evitemos tudo que nos afasta desse ideal.

Diferentes Caminhos: A Mesma Meta

A Vedanta afirma que todas as religiões contém as mesmas e essenciais verdades, embora o acondicionamento seja diferente. E isso é bom. Cada ser humano do planeta é único. Nenhum de nós, na verdade, pratica a mesma religião. A mente de cada pessoa é diferente e cada pessoa necessita do seu próprio e único caminho para alcançar o alto da montanha. Alguns caminhos são estreitos, outros são largos. Alguns são sinuosos e difíceis, enquanto outros são seguros e tediosos. No final, todos chegaremos ao topo da montanha. Portanto, não devemos nos preocupar se nossos vizinhos se perderem no percurso. Eles também serão bem-sucedidos. Todos necessitamos de diferentes abordagens que combinem com nossas diferentes naturezas.
Apesar das variações exteriores das religiões do mundo, os conteúdos têm mais similaridades que diferenças. Toda religião ensina virtudes morais e éticas similares; todas ensinam a importância da luta espiritual e a necessidade de honrar nossos companheiros seres humanos, como parte dessa luta.
"Assim como diferentes rios têm suas fontes em lugares diversos, mas todos mesclam suas águas às do mar," diz uma antiga oração sânscrita, "assim também, Ó Senhor, os diferentes caminhos que as pessoas tomam por suas diferentes tendências, embora pareçam diferentes, sinuosos ou retos, todos levam a Ti."

Para saber mais sobre Vedanta, visite nosso Centro Ramakrishna Vedanta ou pergunte aos monges no endereço:   vedantasp@vedanta.org.br